Tendências que norteiam o pensamento urbanístico da atualidade

Uma cidade é projetada para os carros ou para as pessoas?

Ela cresce para cima, ou se espalha horizontalmente?

O Novo Urbanismo, um movimento informal de arquitetos, projetistas e planejadores que tem florescido desde os anos 1990, responde a essas perguntas fundamentais sobre a vida urbana por meio da promoção dos seguintes princípios:

- cidades compactas e de alta densidade
- “caminhabilidade”
- trânsito de massa
- uso misto do solo

As exigências impostas pelos carros dominaram a urbanização moderna, levando a cidades segregadas e insustentáveis, dependentes de petróleo barato. O novo urbanismo propõe que o nosso conceito de cidade deva mudar.

As cidades são responsáveis por dois terços das emissões globais de gases de efeito estufa. Elas consomem enormes quantidades de energia e água, esgotam o solo e derrubam florestas e atuam como ímã, atraindo indústrias e automóveis que poluem.

Por outro lado, a concentração de grande número de pessoas em um espaço compacto significa que você pode fornecer eletricidade, água, alimento e transporte de modo mais eficiente e com menos desperdício. Trabalho, moradia, escola e serviços estão mais próximos.

O texto acima, de James Tulloch, responde à pergunta inicial: as cidades não são construídas, nem pensadas para o pedestre. Eles não são prioridades nos planejamentos, assim como quem usa a bicicleta para se locomover. Se houvessem ruas mais agradáveis de se caminhar, mais frescas, sombreadas, floridas ou com árvores frutíferas, muitos deixariam o carro e até mesmo o transporte público para andar a pé. Sem contar no benefício para saúde da população.

Em 2011 uma pesquisa  americana constatou que, pela primeira vez em 100 anos, a população nos centro urbanos cresceu mais que nos subúrbios. A revitalização dos  centros das cidades têm acontecido de uma maneira ainda bem lenta. Ruas 24 horas, ciclovias, espaços culturais reformados são algumas ações realizadas para o acesso de quem caminha.

Pensar em uma cidade para o pedestre pode trazer a tona o humanismo que tanto tem faltado ao nosso cotidiano.

Porém, cada um pode contribuir à sua maneira: deixe o carro 1 vez por semana em casa, caminhe pelo seu bairro, descubra o comércio vizinho, faça compras próximo de sua casa, faça uso das praças, conheça as pessoas que caminham e trabalham nos arredores.

Você se encantará com este novo olhar sobre a mesma cidade!

Algumas cidades estão sendo pensadas e criadas como ecocidades: Dongtan e Masdar – Abu Dhabi

Dogtan Masdar

Fonte de consulta:

http://sustentabilidade.allianz.com.br/demografia/urbanizacao/?1532/cidades-verdes-novo-urbanismo

http://ideas.time.com/2013/07/31/the-end-of-the-suburbs/

 

Esta entrada foi publicada em Sem categoria e marcada com a tag , , , , , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Entre em contato

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>